.

segunda-feira, 30 de março de 2020

ARTE E CIÊNCIA. VIVER E RENASCER.

Luiz Carlos Formiga


 
Com Allan Kardec a educação se torna “incentivo para que cada ser imortal revele, diante dos homens, a luz que traz em si por herança divina”.  As expressões artísticas ganham papel de destaque porque trabalham para dar sentido à vida e facilitar a compreensão do mundo social e espiritual. Despertando a sensibilidade e aprofundando o senso de contemplação traz como meta a materialização do belo, aprimorando sentimentos e direcionando impulsos, para zonas superiores da vida eterna.
As manifestações artísticas mobilizam as energias do bem e são capazes de conduzir ao autoconhecimento, fazendo desabrochar a estética e a escala de valores.
Como o teatro e a literatura, a arte melódica, harmônica, rítmica da música é capaz de chegar ao “fundo da alma”, impulsionando-a para o alto, de modo que a aproxime de campos vibracionais elevados. A arte conduz à libertação, o espírito torna-se autor e personagem de sua própria história. (1)
A cognição, o pensamento científico é outro impulsionador da evolução. Paulo, o apóstolo, recomendou: “que a vossa caridade abunde mais e mais em ciência.” Filipensis, 1:9. E, ainda não existia a Neurociência!
A música, por exemplo, tem a capacidade de evocar imagens e sentimentos que não precisam ser refletidos. “Ah se eu acordasse todo dia com o seu bom dia, de tanto café na cama faltariam xícaras.” As variações sonoras são identificadas pelos lobos frontais, como fonte de prazer. Com os lobos frontais enriquecidos pelos neurotransmissores “o preto e branco tem cor, a vida tem mais humor e pouco a pouco o vazio se completa.”(2)
Nessa hora, a glândula pituitária acorda o hipotálamo, há liberação da ocitocina, que estimula o afeto, produz tranquilidade, reduz o medo, a ansiedade e a fobia.
Com alta empatia estão maximizadas as áreas medianas e laterais do córtex pré-frontal nas quais decodificamos informações sociais. (3)
Com a Ciência Espírita, quando perdemos o medo da morte, estamos iniciando a maestria, virtuosidade, na arte de viver. A ciência será com consciência mais que desperta, lúcida. Empatia e conduta moral do pesquisador são fatores primordiais, neste novo campo do conhecimento.
Nas ciências exatas o estado moral do cientista não tem a menor interferência no andamento da experiência. Respeitado o método requerido, um cientista ético e um canalha chegarão às mesmas conclusões. No estudo dos fenômenos psíquicos é diferente.
O pesquisador espírita deve ter claro que é um dos elementos essenciais da pesquisa e que não haverá condições para uma “neutralidade axiológica” absoluta, como nas “ciências exatas”. (4)
Subindo degraus na escala da evolução a pessoa não mais retorna a patamares inferiores, tornando-se capaz de produzir boas obras, mesmo quando colocada em situações de doloroso desconforto. Existem numerosos exemplos dos que souberam tirar proveito dos atos que os constrangeram.
Os nazistas invadiram a Áustria em 1938. Aprisionaram o médico em setembro de 1942. Viktor Frankl tinha um consultório de Neurologia e Psiquiatria em Viena. Somente em 27 de abril de 1945 foi libertado pelas tropas norte-americanas.
No cárcere vivenciou sofrimento extenuante. Passou pelos campos de concentração de Auschwitz, Kaufering e Türkheim. Ele trabalhou em escavações, túneis e construções de ferrovias. Nas horas “de folga”, fazia análise psicológica de prisioneiros e carcereiros e escreveu um livro. (5)
Lembro outro sofrimento extenuante. Na década de 1980, José Salomão Mizrahy me pediu um texto para a Revista O Reformador. Não poderia imaginar que a ele retornaria em 2020, nos dias de pandemia.
      Em 1883, Klebs e Löeffler demonstraram que a dor de garganta com prostração severa na difteria era ocasionada por uma bactéria. Alguns anos depois, Roux e Yersin conseguiram neutralizar o veneno, com a produção do soro antidiftérico. Com Ramon veio em seguida a produção da vacina. Como será com o COVID-19? (6)
Naquele século, antes de 1890 vamos encontrar um médico extenuado com o sofrimento da filha, falência cardíaca e asfixia. A doença repousa principalmente na ação de uma exotoxina, um veneno bacteriano. Um adulto portador assintomático provavelmente tinha passado a bactéria para ela. (7)
Aquele pai-médico com profunda dor na alma, não aguentava mais ver o sofrimento de sua filha. Ele sabia que estavam pesquisando um antídoto para o veneno. Entrou em contato e esperou resposta.
As horas se arrastavam e o sofrimento da filha aumentava. Sentia-se responsável. Em sua mente um pensamento falava em eutanásia libertadora. Momento de decisão. Na tela mental: “é vedado utilizar, em qualquer caso meios destinados a abreviar a vida do paciente. Ainda que a pedido deste ou de seu responsável legal.” Estava sob dor extenuante e sem esperança.
Dor maior do que abreviar a vida da filha foi receber depois o pacote com a mensagem que dizia: “segue o soro, Roux descobriu o antídoto”.
Relatamos um caso de menina que morreu no Hospital Universitário, mesmo após a administração do antídoto, antitoxina. (8)
A dor da equipe foi muito grande. O hospital detinha na época a maior casuística do mundo de implante de marca-passo em miocardite diftérica. Muito triste implantar marcapasso por causa de uma doença onde existe vacinação preventiva. (9)
Estabelecer um serviço de imunização infantil eficaz e permanente é, para qualquer país, dar um passo adiante no sentido do desenvolvimento social e econômico; estabelecer-se uma campanha nacional permanente de evangelização infanto-juvenil é anunciar a era nova.
Ante o COVID-19 empreguemos a disciplina mental e os recursos da prece. (10)
Entrego-me em tuas mãos, Senhor, confio que Tua solução será o melhor para mim, por isso aceito, que seja feita a Tua Vontade e não a minha. Por me socorreres, agradeço-Te antecipadamente. (11)






Leia mais 































6. Reformador (FEB), 99 (1823): 61-64, fevereiro, 1981. 










9. Formiga,LCD. 1984. Marcando passo no último quartel do século XX. Ciência e Cultura, 36(3): 482-489 















 

1 Comentários:

  • Ante el COVID-19 usemos la disciplina mental y los recursos de la oración.
    Me entrego a tus manos, Señor, confío en que tu solución será la mejor para mí, así que acepto que se haga tu voluntad y no la mía. Por ayudarme, gracias de antemano.

    Fonte http://orebate-jorgehessen.blogspot.com/2020/03/arte-e-ciencia-viver-e-renascer.html
    http://www.espiritualidades.com.br/Artigos/F_autores_FORMIGA_Luiz_textos/FORMIGA_Luiz_tit_Arte_e_Ciencia_Viver_e_Renascer.htm
    https://rinconespirita.wordpress.com/dr-luiz-carlos-formiga-2019/

    Por Blogger Luiz Carlos Formiga, às 1 de abril de 2020 06:01  

Postar um comentário

<< Home