.

sábado, 29 de março de 2014

Como Lidar com Demônios e Espíritas?

Luiz Carlos Formiga

Diz o padre (sic): A experiência que tenho é que a doutrina espírita se combate "corpo-a-corpo", com amizade e cuidado. Os "embates públicos" não ajudam muito. De modo que, se um espírita kardecista, por exemplo, me pergunta se o espiritismo é do demônio, eu conversaria com ele para que juntos chegássemos a conclusão de que "sim, é do demônio". Só deste modo ele teria argumento suficiente para decidir (isso mesmo!) se quer continuar no espiritismo ou não, se quer seguir a Jesus Cristo ou não.(1)
O Evangelho diz que o anjo das trevas se transforma em anjo de luz, para seduzir os homens. O Espiritismo é um produto do demônio? A Igreja não nega as manifestações dos santos. Entretanto, proíbe as comunicações com os espíritos dos mortos. Moisés, nestes casos, defendia a pena de morte. Por que os espíritas não obedecem?
O padre poderia dizer: o espiritismo defende certos conceitos combatidos pela Igreja, como a reencarnação, a presença do homem na Terra antes de Adão, nega a eternidade das penas, a existência do demônio, do purgatório e do fogo do Inferno. O Espiritismo tem seus dogmas?
Argumentaria ainda: “dizem que o Espiritismo como ciência apóia-se nos fatos. A opinião dos cientistas opõe-se a essa afirmação. Por que os homens de ciência não se dedicaram à observação do fenômeno? Se tivessem visto alguma coisa de sério, não se teriam descuidado destes fatos. Não era dever dos cientistas a propagação das luzes, principalmente, naquele momento, quando se lhes era apresentada uma grande oportunidade de oferecer ao mundo uma nova ordem de idéias, um novo poder? (2)
O demônio pode se vestir de espírito-padre, como no Lar de Frei Luiz, permitindo, nas suas dependências, cirurgias inusitadas, na presença de médicos sérios e experientes, como descrito anteriormente.(3)
Num corpo a corpo, com amizade sincera, como discutir essas questões?
Para o espírita, Jesus é Modelo e Guia. Partindo da Ética Cristã chegamos à Ética Espírita (4)
Lidar com os espíritas não é fácil! Imagine com os desencarnados (5).

Referências: 
Ciência, Filosofia e Moral. Na Poeira Acumulada. "O Espiritismo é uma alavanca que afasta as barreiras da cegueira. A preocupação pelas questões morais está inteiramente para ser criada; discute-se a política que examina os interesses gerais, discute-se os interesses privados, apaixona-se pelo ataque, ou defesa das personalidades; os sistemas têm seus partidários e seus detratores; mas as verdades morais, as que são o pão da alma, o pão da vida, são deixadas na poeira acumulada pelos séculos."
J.J. Rousseau. Livro dos Médiuns.










1 Comentários:

  • Esse texto me fez lembra um trecho que li no livro Bases Científicas do Espiritismo - Epes Sargent, diz o seguinte:
    “Não tenho necessidade de discutir a questão de saber se o Espiritismo, sendo um fato, é moral ou não em sua tendência.
    Deveríamos então questionar também sobre a moralidade do éter interestelar ou do princípio da gravitação. A verdade, antes de tudo, deve ser a divisa do homem de ciência. Contudo, a vossa objeção, apesar de impertinente, é comum, e frequentemente ouvimos apresentar-se esta interrogação: “Para que serve o Espiritismo?” As perguntas – Para que foi criada a raça humana? Para que foi formado o Universo? Também poderiam ser agitadas. Se há Espíritos que se manifestam como falsários e depravados, também esses vícios se mostram em toda a raça humana. Se do mundo espiritual provêm incitamentos para o mal, também dos homens provém.” – Pag.140
    Devemos largar o preconceito de lado e de forma honesta estudar e depois fazer as críticas com base no que estudou.
    Marcos Fonseca

    Por Blogger Marcao, às 16 de maio de 2014 05:49  

Postar um comentário

<< Home