.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

“Isso non ecziste”

“Isso non ecziste”
Luiz Carlos Formiga


Quarta-feira, 09 de janeiro de 2018 desencarnou aos 88 anos de idade Oscar Gonzáles Quevedo Bruzan, mais conhecido por Padre Quevedo.
Nem sempre Quevedo foi religioso. Quando criança e durante parte da adolescência, era um católico praticante. Ainda na juventude, tornou-se um espírita convicto para, entre os 26 e 27 anos de idade, tornar-se ateu, afastando-se de qualquer religiosidade. (1) Depois ressurgiu jesuíta.
Foi uma pena que ele não tenha visto a cirurgia, feita pelo espírito materializado, presenciada e autenticada por diversos médicos. (2, 3, 4,)
Talvez ele dissesse: “isso non ecziste”.  Agora Quevedo vai tomar conhecimento.
Qual a visão espírita da morte? A resposta depende da vertente da ciência em que se insere o pesquisador. Faça-o responder primeiro à pergunta: O que somos? Se ele responder que somos impulsos eletroquímicos num biocomputador que se originou por acaso, num universo de partículas, matérias mortas, e que se movimentam aleatoriamente, certamente a morte é o nada. Isto é apenas uma questão de fé. A ciência ainda não demonstrou que não existe vida depois da “morte”.
Com a vertente espiritualista da ciência podemos dizer que estamos diante de um novo estilo de vida. As evidências científicas estão apontando neste sentido e Jesus já havia dado aula prática sobre isso, anteriormente. (5)
Quem sabe ainda poderemos voltar a reencarnar na Terra?
Como iremos encontra-la, depois de, mais ou menos, 300 anos na erraticidade? Será que a fila da reencarnação é maior do que aquela enfrentada pelos desempregados no Brasil, ao buscar uma colocação?
Após a desencarnação o Espírito vai atualizar a consciência, com fatos das mais recentes experiências de vida na carne, numa fase chamada de “escolaridade”. Ele vai readquirir novas energias e reestudar novos procedimentos, quando finalmente, chegará à fase de “planejamento” de uma nova reencarnação, dentro dos limites das possibilidades, dos seus méritos e das Leis das probabilidades.
“Isso ecziste”, mas, a coisa parece ser demorada. Pode-se sintetizar: “Não o fatalismo, mas determinismo relativo”. Mais consciente, depois de um bom tempo, o espírito percebe que se a verdade liberta é a pacificação que o redime. (6) Pacificação é uma estrada muito longa a ser percorrida, quando somos reincidentes.

1.   “Isso non ecziste”
2.   A cura e a mudança necessária
3.   “A Face Oculta” no CREMERJ
4.  Foi Incrível
5.  Para Nossa Cura
6.  Seria eu, por acaso, um espírito. Revista O Consolador.

1 Comentários:

  • É, agora ele vai se deparar com a realidade assim que despertar da perturbação que precede o despertar.
    E se mesmo assim, ele não aceitar? Isso as vezes acontece e o espíritos sofre muito, pois é muito difícil viver no Plano Espiritual dessa forma.
    Espero que ele aceite a realidade do Universo, se esclareça e venha assim que puder retificar o que disse aqui no Plano Físico distante da realidade.
    Essa será uma atitude digna.

    Por Blogger Marcao, às 10 de janeiro de 2019 01:59  

Postar um comentário

<< Home