.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Check-in

Luiz Carlos Formiga


Há sempre um planejamento, tanto do passageiro quanto da companhia aérea. Toda aeronave para realizar sua trajetória deve estar de posse de documento técnico e oficial chamado plano de voo. Há o cálculo do consumo de combustível e a concordância do plano, com o controle do tráfego aéreo, o que minimiza a possibilidade de acidentes.
Enquanto passageiros, devemos chegar "bem antes" do horário do embarque. Teremos que conferir a reserva, bilhete, assento, número de volumes que serão despachados, pesagem e colocação de etiquetas. A bagagem de mão também deverá ser identificada.
Com a evolução, procedimentos se aperfeiçoam. Hoje, temos totens, que funcionam com tela trouch e foram criados para o autoatendimento. O objetivo é facilitar e tornar rápido o processo de embarque, pois já podem ser utilizados por passageiros das diferentes empresas. Totens permitem a impressão de bilhetes e etiqueta de identificação da bagagem.
Como humanidade, fizemos progressos. Muitos reencarnaram depois da descoberta da penicilina, da estreptomicina e da fralda descartável. Como deve ser hoje o check-in nos momentos que antecedem o embarque no aeroporto da reencarnação?
Vocês lembram como eram os primeiros aeroportos e como pensavam os passageiros daquela época? Como era feito o controle do “tráfego aéreo”e como é hoje?
Nessa fase de regeneração do planeta, muitos compradores de passagens estão tendo seus cartões de crédito recusados por causa dos limites das possibilidades e do mérito.
Recordemos, com o capítulo I do Evangelho Segundo o Espiritismo.
Deus enviou Moisés e profetas para tornar-se conhecido dos hebreus, povo instrumento, e dos povos pagãos. As vicissitudes porque passaram os hebreus foi para chamar a atenção geral e fazer cair o véu que ocultava a divindade.  Embora adiantados em artes e ciências, não teriam compreendido que se pode reencarnar; adorar a Deus sem a necessidade de perseguições e extermínios e nem que se deve perdoar um inimigo.
 A moral era apropriada ao seu estado “meio”selvagem, em relação à inteligência espiritual, ao aperfeiçoamento da alma, espírito reencarnado. Não se teriam convertido sob o império de uma religião inteiramente espiritual. Era-lhes necessária uma representação semimaterial, qual a que apresentava então a religião hebraica.
Os 10 mandamentos contêm o gérmen da mais ampla moral cristã. Mesmo mal compreendidos não deixaram de ser como um farol a clarear a estrada ética que a Humanidade deveria percorrer.
O Cristo foi o iniciador da moral evangélico-cristã e Kardec o da ética espírita, trazendo explícita a reencarnação, conjugada à Lei, educativa, de Causa e Efeito. Renovará o mundo e irmanará os homens. Fará brotar assim a caridade e o amor do próximo, estabelecendo uma solidariedade comum. Surge assim uma moral que transformará a Terra, tornando-a morada de Espíritos superiores. A lei do progresso está se cumprindo e o Espiritismo é a alavanca de que Deus se utiliza para fazer avançar a Humanidade.
Novas ideias se desenvolverão e seguirão a mesma rota das precursoras ideias de liberdade. Haverá lutas, abalos e discussões, a fim de que atraiam a atenção das massas, para atingirem a maturidade. Uma vez alcançado esse objetivo, a beleza e a santidade da moral tocarão os espíritos, que então abraçarão uma ciência que lhes dá a chave da vida futura e descerra as portas da felicidade eterna. Moisés abriu o caminho; Jesus continuou a obra; o Espiritismo a concluirá. Kardec deixou uma síntese: “nascer, morrer, renascer ainda e progredir sempre, tal é a lei.”
Aqui é um paciente com fantasias suicidas, que recordou uma vida pregressa. Acolá, outro lembrando que numa vida anterior, reencarnado como mulher, foi obrigada a casar-se com um homem que detestava. Este, agora reencarnado como homem, relembrou a tentativa de suicídio, quando se surpreendeu grávida. No parto, há mais 150 anos, houve grave hemorragia, só se poderia salvar a mãe ou a criança. Ela deu ordem ao médico para que fosse sacrificada, pois detestava viver. Morreu amaldiçoando a família e a vida, num terrível sofrimento físico e mental. Fora do corpo, viu-se flutuando no ambiente, tentando contatar pessoas. “Foi horrível!”
No estado atual das coisas, há uma boa razão para se supor que a hipótese da reencarnação seja a melhor explicação para diversos casos documentados pelo Prof. Stevenson.
No livro Xenoglossy, o médico pesquisador, Stevenson relata o caso Lydia Johnson, de xenoglossia responsiva. A pessoa é capaz de responder numa língua que não lhe foi previamente ensinada, revelando capacidade de compreender a língua falada. Nesse caso, durante a regressão de memória, ela começou a falar e linguistas suecos traduziam as declarações feitas pela nova personalidade, que se referia como "Jensen Jacoby". “Ele” falou em sueco medieval, língua estranha para Lydia. Perguntas foram feitas em sueco e respostas foram dadas em sueco do século XVI.
“Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sempre, tal é a lei.” Kardequizar é tornar explícita a reencarnação, uma verdade axiomática. Ela é a única Filosofia que poderá enfrentar o Materialismo, por isso tanta resistência “religiosa” e “política”.
Hoje sabemos que libertos do corpo, pelo mecanismo da desencarnação, passamos por uma fase onde atualizamos a consciência, com fatos de outras reencarnações e reestudamos procedimentos. No plano espiritual, o estado do espírito é caracterizado pela consciência, desperta, lúcida ou não, pelo crédito moral, representado pelo “bônus hora” e pela densidade do corpo sutil do espírito. Esta densidade está se modificando a todo momento, pelos pensamentos, palavras, atos e intenções.
Depois de “cair em si” o espírito passa a planejar uma nova encarnação, elaborada dentro dos limites das possibilidades, méritos e das Leis das probabilidades. Como deve ser o check-in antes do embarque para voltar à vida, na carne, na Terra? Lembram?
Um funcionário do Ministério da Reencarnação no aeroporto, uniformizado de espírito protetor, nos ajuda a fazer a recapitulação do “plano de voo”, mais ou menos assim:

Senhor passageiro. Tua mente já possui, nas criptas da memória, recursos enciclopédicos da cultura de todos os grandes centros do Planeta. Teu perispírito já se revestiu com porções da matéria de todos os continentes. Tuas irradiações, através das roupas que te serviram, já marcaram todos os salões da aristocracia e todos os círculos de penúria do plano terrestre.
Tua figura já integrou os quadros do poder e da subalternidade em todas as nações. Tuas energias genésicas e afetivas já plasmaram corpos na configuração morfológica de todas as raças. Teus sentidos já foram arrebatados ao torvelinho de todas as diversões
 Tua voz já expressou o bem e o mal em todos os idiomas. Teu coração já pulsou ao ritmo de todas as paixões. Teus olhos já se deslumbraram diante de todos os espetáculos conhecidos, das trevas do horrível às magnificências do belo.
Teus ouvidos já registraram todos os tipos de sons e linguagens existentes no mundo. Teus pulmões já respiraram o ar de todos os climas. Teu paladar já se banqueteou abusivamente nos acepipes de todos os povos.
Tuas mãos já retiveram e dissiparam fortunas, constituídas por todos os padrões da moeda humana. Tua pele, em cores diversas, já foi beijada pelo Sol de todas as latitudes. Tua emoção já passou por todos os transes possíveis de renascimentos e mortes.
Senhor Passageiro, não te permitas impressionar apenas com os holocaustos, com as alterações que convulsionam hoje todas as frentes de trabalho e descobrimentos na Terra. Olha para dentro de ti mesmo e mentaliza o futuro.
 O teu corpo físico define a atualidade do teu corpo espiritual. Já viveste vidas incontáveis e trazes, no bojo do espírito, as conquistas alcançadas em longo percurso de experiências na ronda de milênios Eis porque o Espiritismo te pergunta:
Você vai continuar repetindo o que já foste e o que fizeste?(*)

No Código Penal brasileiro encontramos o artigo 63. Verifica-se a reincidência quando o agente comete novo crime, depois de transitar em julgado a sentença que, no País ou no estrangeiro, o tenha condenado por crime anterior. Reincidência prejudica a densidade do espírito.
No plano espiritual, dependendo de nossa densidade, podemos volitar. No entanto, aeronave em reparo não tem plano de voo e fica numa oficina do planeta azul. Sem cometer o crime grave do suicídio, não podemos abortar o voo da reencarnação.
Depois de Moisés, Jesus e Kardec, que desculpa poderá justificar a repetição dos mesmos erros?
Aperte o cinto. Leia as instruções disponíveis no compartimento a sua frente.
Boa Viagem! Mas, “cuidado com o orgulho”. “Mais alto o coqueiro, maior é o tombo do coco afinal”.(**) Respeite os pobres e não cultive preconceito racial
Durante o processo da reencarnação você vai esquecer o passado, mas de algum modo vai lembrar.
“A bruxa é cega, esbarra na gente, o enfarte pega e acaba essa banca”.
“Pra que tanto orgulho, doutor?”
Todo mundo fica igual, quando a reencarnação “termina com terra por cima e  na horizontal.  Billy Blanco.

(*) O Espírito da Verdade
(**) Billy Blanco.


1 Comentários:

  • MUITO BOM.
    Faço parte de um Grupo de Estudo - Reunião de Apoio a Dependentes - 12 Passos com Jesus e lá fazemos esse "Check-in" toda semana é uma oportunidade grande.
    https://www.facebook.com/ceacl
    Marcos Fonseca

    Por Blogger Marcao, às 12 de julho de 2015 03:35  

Postar um comentário

<< Home