.

domingo, 29 de setembro de 2013

SOFRIMENTO PSÍQUICO GRAVE

Luiz Carlos Formiga
Rio de Janeiro
Luiz Carlos Formiga


Quando visitamos, mesmo através da WEB, a Notre Dame de Paris (1) ou a cúpula de Reichstag em Berlim, (2) não estamos pensando em coisas tristes.
Quando passamos no Bairro do Maracanã e percebemos que aquele esqueleto de cimento, ferro e pedra, de nossa infância, se transformou no campus da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, não pensamos coisas tristes. Mas, nem tudo são flores. Acontece que, como em Notre Dame e em Reichstag, nela vamos encontrar a coisa triste que é o suicídio.
Se os números que nos chegaram no dia 20 de setembro, de forma não oficial, estiverem corretos, temos motivo de tristeza. E pensar que podem estar defasados em 20%, como os casos de suicídios diários que ocorrem no Brasil. (3)
De 1989 à 2011 soubemos de 11 casos. No dia da palestra comemorativa dos 15 anos de funcionamento do Núcleo Espírita Universitário recebemos a notícia que já eram 59. Assim sendo, juntando os casos de 2012 e 2013, temos um aumento significativo, ou, então, está havendo mais transparência, com relação a esse sofrimento psíquico grave e fatal, que não chega a ser noticiado pela mídia.
Acreditamos que é chegada a hora de todos os Núcleos “religiosos” se unirem, utilizando a “ética da Tolerância” intensificando ações e orações, no sentido do fortalecimento dos trabalhos de preventivos.
Em 2011, a UERJ trouxe uma autoridade em Epidemiologia e prevenção da Unicamp e não podemos esquecer a possibilidade de se fazer prevenção universal, seletiva e indicada. Esta última junto aos que apresentam alto risco, tendo um fator principal que é a existência de tentativa. Essas pessoas devem ser estimuladas a não abandonar o tratamento a que estão submetidas. Núcleos “religiosos” podem ser úteis na divulgação da existência de serviços de apoio emocional, gratuito, sigiloso, disponível 24 horas por dia, 365 dias por ano, onde um clique é fundamental  (CVV). Um telefonema ajuda muito.
O preconceito religiosos existe e pode dificultar a atuação do NEU-UERJ, mas mesmo assim, não deve esmorecer. Pelo contrário, as investigações sistemáticas apontam na direção de que indivíduos com fé religiosa profunda, sem interesses subalternos ou materiais, lidam melhor com estresses da vida e se recuperam da depressão, com maior rapidez do que pessoas menos religiosas.
O NEU deve colaborar na prevenção e no auxílio aos que equivocadamente saíram da vida pela porta errada. Com o livro e o filme “Nosso Lar”, descobrimos que o Umbral tem porta de saída.

(1) Notre Dame (Paris)
(2) Reichstag (Berlim)
(3) Universidade e Suicídio. Discutindo Arquitetura e Prevenção. Texto enviado a Vice Reitoria da UERJ.
(4) CVV
Lista de contatos e endereços dos Postos CVV


1 Comentários:

  • Diante de um problema grave como esse o que nós, a Sociedade estamos fazendo para prevenir essa situação e como estamos pressionando os Governantes para implementar ações preventiva.
    Por que tanto silêncio? É medo de enfrentar a situação ou fuga, até quando a Sociedade vai fechar os olhos...
    Marcos Fonseca

    Por Blogger Marcao, às 6 de outubro de 2013 01:09  

Postar um comentário

<< Home