.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Análise crítica ao livro Legião


Amigo Robson Pinheiro;

Li seu livro “Legião”, não com a intenção de discordar de sua obra, mas com a intenção de esclarecer que sua obra não é espírita, como você tampouco o é.
Lógico que isto não diminui o apreço e o respeito que dedico a sua pessoa, embora não o conheça pessoalmente, mas quem sabe um dia teremos o prazer de tomarmos um café juntos, nos abraçarmos.
Entretanto eu acredito que  você deve ser autentico, em explicar que suas obras estão dirigidas para a umbanda, pois li varias delas, e com todo respeito meu amigo, não encontrei qualquer informação espírita.
Desculpe-me enviar este e-mail através do endereço da casa em que você trabalha, mas não tenho o seu e-mail direto.
Fico ao dispor para qualquer resposta, qualquer explicação de sua parte, pois te estou invadindo a intimidade, mas quem escreve esta sujeito a isto amigo.
Um forte abraço.
                            José  Sola



Análise critica ao livro “Legião”

José Sola
Meu amigo Robson Pinheiro, você escreve nesta obra, que esta enviando uma mensagem para os espíritas, mas lendo seu livro, amigo, verifiquei não haver nada que verdadeiramente interesse aos espíritas, pois neste livro, nosso amigo Ângelo Inácio nos narra experiências vividas por entidades da Umbanda, as mensagens são sem duvida alguma para os umbandistas, alias tenho lido outros livros seus, e em nenhum deles encontrei informações legitimamente espírita; amigo com todo respeito mas você é umbandista.
Não que eu tenha algo contra a Umbanda, pois sei que a mesma em sua origem é uma religião boa, na África a Umbanda, tinha como finalidade a comunicação dos familiares, com seus mortos queridos, utilizando-se da mediunidade, entretanto quando trouxemos os negros africanos para o Brasil, que era dominado pelos portugueses, o principio verdadeiro da Umbanda foi adulterado, os portugueses eram místicos, desenvolviam a pratica da feitiçaria, dentre outras, e acabaram inserindo essas praticas ao umbandismo, desvirtuando lhe os princípios, mas eu acredito que existem tendas de Umbanda que conservam, senão a originalidade, mas os objetivos na pratica da caridade. 
Em determinado momento, nosso querido amigo Ângelo, nos diz que com o decorrer do tempo, os espíritas e umbandistas, (pág. 136) estarão realizando trabalhos em conjunto, entretanto isto não é possível, pois a única coisa que temos em comum, é a mediunidade, de resto tudo difere.
O espiritismo é uma doutrina, filosófica, moral e cientifica, é no dizer de Emmanuel a encontro marcado com as lições do Cristo de Deus, e tem como exemplo único a caridade com Jesus, não se utiliza da força magnética, e menos ainda da força “física” na intenção de modificar a condição evolutiva de um espírito que se demore na pratica do mal, compreendendo que o próprio Cristo não se utilizou da força magnética, pois ele poderia confundir aqueles que o queriam pregar na cruz, entretanto preferiu fazer uso da força suprema do amor, respeitando o livre arbítrio daqueles espíritos, e não é esta a postura da Umbanda, vejamos.
“Provocando o sentinela das sombras, Pai João ordenou, com autoridade inquebrantável.
Não podemos perder tempo. Chame seu superior e diga-lhe que temos a permissão do Cordeiro para entrar e fazer uma inspeção no ambiente......
Vá. - determinou enfático, o guardião da noite interferindo abruptamente. (pág. 217, 218).... “Temos autoridade superior e não estamos dispostos a perder tempo com vocês”
Amigo Robson embora respeitando a postura desses espíritos, pois estão realizando seu trabalho, na condição evolutiva em que se demoram, mas você é inteligente e há que convir comigo que as entidades espirituais que trabalham na doutrina espírita, não se demoram vivendo esse comportamento, dentre muitos outros espíritos, lembro nosso amigo André Luiz, quando nos relata em seu livro “Libertação” que para descerem as regiões das trevas, o instrutor Gubio lhes pediu, apagassem a luz, na intenção de não ferir as entidades infelizes que ali se demoravam, no intento de não humilhar esses espíritos, ainda André Luiz em o livro “Obreiros da Vida Eterna”, quando o Padre Hipólito dirigia a palavra àquelas entidades infelizes, e estas provocavam os mensageiros da luz a um combate corpo a corpo, nosso amigo André sentiu ainda algumas reações inferiores, desejo de fazer justiça, retirar, aqueles pobres espíritos que estavam submetidos ao julgo dos infelizes revoltados, e as palavras esclarecedoras do irmão Jerônimo, alerta-o de que não deveria impor a força, não deveriam agir com violência, pois a força maior do universo é o amor; como visto, os princípios do espiritismo e os da umbanda diferem, amigo.
Na pagina 118, nos diz pai João, que para trabalhar como pai velho, não basta haver sido escravo, ou conhecer algumas mandingas, e depois manifestar-se por ai, fazendo benzeções, alem das experiências vividas em outras vidas, é necessário dominar o que se refere a magia, teurgia e outras coisas semelhantes, realizando seu aperfeiçoamento com disciplina rigorosissimas e sob a tutela dos mestres do pensamento universal.
Nosso querido amigo pai João parece-nos haver se equivocado, pois existem espíritos de pretos velhos, que como dito por pai João, já viveram experiências no campo da cultura e da ciência, e reencarnam como pretos velhos, para vencer o orgulho e a vaidade, que comummente nos é motivos de fracasso na evolução, um destes casos, é o caso de pai Jacó, que foi medico racista e preconceituoso, e reencarnou na raça negra, para eliminar essas fraquezas, sabemos que ele é um espírito evouluido,  como acredito seja pai João de Aruanda, pois trata de questões que escapam a muitos pretinhos velhos.
Ninguém pode dar o que não tem, o pretinho velho que não haja adquirido experiências na cultura e na ciência empírica, vai sim, manifestar conhecimentos na ciência da vida, ciência esta que não foi adquirida, em Universidades de pedra, foi apreendia na Universidade da Natureza, entretanto, este conhecimento é intuitivo, é de maneira intuitiva que ele descobre a essência das plantas medicamentosas, em outras palavras, não que ele as busque, as descobre intuitivamente, temos a confirmação desta realidade nos animais, pois sabemos que muitos animais, procuram ervas medicinais e as mastigam, dentre muitos o cão, quando esta mal do estomago, procura ervas, se houver condições o capim, é evidente de que este ato é instintivo.
E no meu entender, acreditar que o preto velho, para adquirir condições para trabalhar como um preto velho experiente, na solução do esclarecimento de espíritos infelizes que se demorem desenvolvendo o processo obsessivo, é engano, pois no meu entender a superioridade do espírito, não esta na conquista do conhecimento da magia, esta na maturação do amor, potencial que trazemos em latência no núcleo da alma, pois quando evoluído o espírito, a única magia que prevalece, é a magia do amor, pois somente o amor, encobre a multidão de nossos pecados, o amor é a força suprema do universo.
O espírito amigo de Ângelo nos apresenta as pombajiras, ou bombonjiras, como uma falange de amazonas, mas neste caso ele se enganou, ou esqueceu de citar que estas guardiãs, têm sete maridos, tanto que para obtermos a graça de um exu, não basta apresentarmos um despacho somente ao mesmo, temos que oferecer também a ela, pois do contrario poderemos não alcançar êxito em nosso pedido, entretanto concordo que estejam realizando um trabalho na condição evolutiva em que se demore, pois somos informados através do espiritismo, que os espíritos superiores, se demoram na espiritualidade, permutando os sentimentos de amor e simpatia.
Entretanto amigo Robson não me demoro a fazer uma analise critica a umbanda,  e tampouco aos espíritos que trabalham na mesma, pois entendo que em seu estado evolutivo realizam um trabalho importante no contesto da evolução, se o fizesse, estaria desconhecendo os caminhos evolutivos, estaria sendo incoerente, e ignorante mesmo, e se você não houvesse dito que estava enviando uma mensagem aos espíritas, tampouco o faria, mas é que você se diz espírita, e isto você não é meu amigão.
Robson meu amigo, vocês foram deselegantes, pois na pagina 140, quando é anunciado por pai João que o médium Raul desdobrado, ali estava para observar e enviar uma mensagem aos espíritas, nosso querido tata chefe dos guardiões deu uma gargalhada e afirmou “Os espíritas parecem ter criado um movimento tão cheio, de preconceitos que dificilmente se interessam por algo a nosso respeito sem nos tachar de obsessores e acusar o médium de anti-doutrinario, como é seu costume”.
Eu concordo que existam espíritas preconceituosos lógico, como os existem no catolicismo, no protestantismo, na umbanda, enfim em tudo que o ser humano esteja envolvido, infelizmente vai acontecer o preconceito, pois ainda não somos avatares da luz, mas se o nosso tata fosse um pouco mais atento, haveria se apercebido de que os espíritas verdadeiros, não se demoram em preconceitos; em que momento Kardec se demorou a censurar a umbanda, você já leu as obras de André Luiz, Emmanuel, Humberto de Campos, Bezerra de Menezes, e outros tantos, e com certeza não encontrou nestas obras, qualquer menção critica a umbanda ou aos umbandistas.
Meu amigo ao fazer esta afirmativa, tata, pai João, o espírito amigo de Ângelo, e você, não foram felizes, pois não houve da parte de nenhum de vocês sequer a intenção de negar estas palavras, ditas pelo tata, todos concordaram.
Robson não vejo em você a responsabilidade absoluta de suas obras haverem sido colocadas nos catálogos de obras espíritas, de haverem sido divulgadas nas casas espíritas como se fossem espíritas, eu somente acho que você meu amigo, deve ser autentico, pois você sabe que suas obras não são espíritas, como você tampouco o é, então diga com clareza, sou umbandista e os livros que escrevo são direcionados a umbanda, pois se você houvesse feito estas afirmativas, eu não teria porque escrever esta analise critica, entretanto, a responsabilidade maior de suas obras haverem sido aceitas como espíritas, compete a alguns espíritas desavisados, pois eu procurei o quanto pude alguma informação, legitimamente espírita, e não a encontrei, onde eles viram pensamentos espírita, eu não sei, por este motivo convido aos meus confrades, que me respondam explicando me trechos desta ou de outras obras sua, em que haja alguma informação doutrinaria do espiritismo.
Eu entendo que o espírita pode e deve ler outras obras, pertencentes a qualquer religião ou filosofia, pois eu leio, entretanto, embora respeitemos o pensamento e a crença dessas doutrinas, não podemos inseri-las ao espiritismo, mesmo sendo o espiritismo uma doutrina eclética, pois estaremos adulterando o postulado doutrinário do espiritismo, legado por Allan Kardec; já que temos espíritas simpatizantes da umbanda, estes devem ser sinceros em seu propósito, coloquem uma estante especialmente, preparada para receber as obras do Robson e outras, nas livrarias espíritas, tanto quanto nas bibliotecas nas casas espíritas, e então estarão oferecendo aos espíritas iniciantes, ou simpatizantes, a oportunidade de escolha, se querem ler essas obras ou não, não estarão lendo enganados, como se fossem obras espíritas.
Amigo Robson não posso de forma alguma afirmar que suas obras não são boas, se o fizesse estaria sendo incoerente, preconceituoso, acredito mesmo que o que você escreve favorece muito os nossos irmãos umbandistas, pois como você mesmo disse, existem alguns adeptos da umbanda que mistificam, lembro aqui as pombajiras, em que você esclarece que esses espíritos são guardiãs, entretanto, em algumas tendas, espíritos mistificadores se incorporam, comumente em mulheres, ficam nuas e dizem palavras obscenas; mas este recado é para a umbanda amigão, se você escrever alguma coisa espírita, terei prazer em afirmar, esta obra do Robson Pinheiro é espírita.
Estou a seu dispor, caso queira provar-me que suas obras são espíritas, mas acredito que não haja esta necessidade, e ainda ao dispor dos espíritas que viram nos livros de nosso querido amigo, obras espíritas, mas que apresente lógica e claro.
Um forte abraço, ao Robson e a todos os que lerem e analisarem esta analise critica. 
José Sola
                                                                                                                               

7 Comentários:

  • Identifico-me muito com as críticas aos livros do Robson, no entanto, quando se fala a respeito da postura a exemplo: "palavras esclarecedoras do irmão Jerônimo, alerta-o de que não deveria impor a força, não deveriam agir com violência, pois a força maior do universo é o amor"

    Onde ficam, na literatura espírita, os tais soldados armados com lanças e os guardas das colônias, bem como atuam as defesas magnéticas e etc?

    Essa dúvida fica.

    Por Blogger Universo Paralelo, às 28 de julho de 2014 12:57  

  • Caro irmao. Seu conhecimento sobre a origem da Umbanda ser Afro esta totalmente equivocada. Precisa estudar melhor. Recomendo que entre no site: www.umbanda.com.br - e lá vera um livro disponibilizado gratuitamente, com o nome: "Umbanda - A Manifestacao do Espirito ara a Caridade" 1 volume: A Origem da Umbanda.

    Leia e saberá o que e, e como surgiu a Umbanda, e nao mais cometera a gafe de dissertar erroneamente sobre a formação e a origem de tão nobre religiao.

    Por Blogger Pai, às 27 de novembro de 2014 20:57  

  • Meus irmãos, Ranieri - escritor espírita - já relatava realidade mto parecida com a realidade retratada por Robson. Apesar de respeitar a opinião do autor do post, tenho q discordar em td. Principalmente, pq pouco importa definir a religião à q a mensagem está ligada. O q realmente importa, é receber a mensagem, interpretá-la, e concluir (com base em mta pesquisa e oração) se deve acreditar ou não. Vc, claramente não verá nos escritos de tds esses autores espíritas q citou, qqr menção aos vários mundos descritos por Ãngelo, pq esses autores são de uma outra época. Sabemos q a verdade é revelada aos poucos, de acordo com a nossa capacidade de recebê-la. O Universo é mto mais complexo do q os livros espíritas iniciais apresentavam. Hj, nós possuimos maior capacidade de absorver informações mais "chocantes". Mas essa é uma conversa mto longa.
    A questão, meus irmãos, é q infelizmente mtos ainda não perceberam q não importa definir a religião. Amo a Umbanda, pq ela unifica tds as religiões. Ela "religa". Lamentavelmente, mtos sectaristas ainda encaram o espiritismo como uma doutrina à parte. Na vdd, ela está em tds as doutrinas, de tds as religiões. Tenho mto mais a dizer sobre a minha visão, mas não qro me estender demais. ninguém teria paciência de ler... rs...
    Um abraço a tds... luz e axé!

    Por Blogger CONTO DE FADAS REAL, às 17 de janeiro de 2015 09:40  

  • A visão de Robson Pinheiro, a qm interessar: https://www.youtube.com/watch?v=QvdsnNziDPQ

    Por Blogger CONTO DE FADAS REAL, às 17 de janeiro de 2015 11:02  

  • Este comentário foi removido pelo autor.

    Por Blogger CONTO DE FADAS REAL, às 17 de janeiro de 2015 11:03  

  • Eu concordo em genero , numero e grau com o autor. Não é sectarismo. Ele apenas pede que a verdade venha a tona.
    Alguem disse ai em cima que a Umbanda unifica todas as religiões. Me responda então: voces podem aderir a leitura biblica,leitura do alcorão, batismo com pastor, casamento catolico, circunsizão judaica, quiromancia, nos trabalho de voces? Na Umbanda, tudo que chegar é bem vindo, né... dentro da pratica religiosa de voces não tem um Norte? Valores proprios ? Diretrizes???
    Eu duvido!!! Eu duvido que se um monge budista , chegar na reunião de voces solicitando meditações , mantras, voces vão deixar de lado suas praticas e começar a fazer a reunião ao modo dele? Pois se fizessem isso, já não seria mais Umbanda!
    Então porque nós espiritas temos que aderir a tudo??? Sem refletir, sem buscar a logica e a veracidade? Só pra posar de bonzinhos? ... Pra não discordar de ninguem...
    Tambem temos nossas diretrizes. Queremos apenas que as pessoas respeitem isso, como respeitamos as diretrizes das outras doutrinas.
    Queremos que pessoas leigas tenham o direito de estudar e escolher POR SI MESMAS que filosofia seguir.
    Que leiam os livros do Robson!!! Que leiam a vontade. Mas que não achem que isso é espiritismo, porque não é. Simples assim.
    Ninguem é melhor que niguem. Mas não é correto esse negocio de um escritor se apropriar do nome do Espiritismo pra vender suas obras!
    A Zibia Gaspareto tem mais dignidade. Ela pelo menos fala: Gente não sou espirita. Ja fui. Simpatizo com essa doutrina, mas sigo agora crenças minhas, muito pessoais ...
    Isso é o minimo que o Robson deveria fazer...
    Não tenho nada contra o trabalho dele. Só não concordo com o fato dele se dizer espirita e querer usar o nome da dourina pra se promover.
    Abraço a todos.

    Por Blogger Tialle, às 29 de janeiro de 2017 05:52  

  • Estou concluindo a leitura dos três livros , a trilogia. A verdade deve sempre prevalecer. E tudo que eu li serve para ampliar meu conhecimento. E sim o trabalho espiritual desenvolvido por Angelo e Raul e diferente de tudo que ja vi. Eles trabalham em zonas vibracionais diferenciados em tudo quanto ja li nas obras espiritas, nunca vi igual. E para fazer esse tipo de trabalho eles tem uma característica peculiar "força", "paixão". São humanos.São do tipo "estou no fundo do posso mais vou sobreviver".Discordo do autor do post, não deveria fazer diferença se é de umbanda, católica ou judaica. E chegada hora de tirar o véu, de romancear as obras, a verdade vem atona aos poucos. Em muitas ocasiões se faz necessário agir com força e violência dado o estagio e o momento.Jesus expulsou os comerciantes do templo, e não foi delicado não! foi a chicotada!Amei a obra dele e parecia que eu ja conhecia e senti uma vontade tão grande de trabalhar com eles. Pena que não tenho treinamento e nem conhecimento pelo menos nesta encarnação minha missão é outra. Como espírita percebo como estamos ainda presos aos hábitos de milênios, orgulhos e vaidades.

    Por Blogger Jeanne Ito, às 27 de março de 2017 16:49  

Postar um comentário

<< Home