.

quinta-feira, 31 de março de 2011

Apego ao Cargo. O Poder Neurótico.


Luiz Carlos D. Formiga

http://www.terraespiritual.locaweb.com.br/espiritismo/artigo427.html

Carlos Aveline nos fez pensar. Reproduzo trechos em itálico.(1)

"Criar estruturas coletivas saudáveis não é fácil".

Como organizar uma estrutura de poder que seja coerente com a busca espiritual?

O caminho espiritual envolve situações coletivas em que surge a questão do poder, da organização, dos relacionamentos interpessoais e das decisões em grupo".

Como evitar que trabalho e vida pessoal se misturem. Como fazer para não escutar que você está trabalhando tanto que quase não vê os filhos e os netos?

"É necessário usar ciência e a arte de formar cidadãos conscientes, saudáveis e equilibrados nos seus atos pessoais e sociais".

Como fazer frente a ilusão do poder pessoal sobre outros?

"Existem pessoas que buscam o poder coercitivo, que é um mecanismo doentio, sob o ponto de vista psicológico".

Somos pessoa fortemente competitiva? (2)

"A ânsia de poder neste caso não se origina da força, mas da fraqueza. Ela é expressão da incapacidade do eu individual para ficar sozinho e viver. É um esforço desesperado para conseguir força simulada quando se tem falta de força autêntica. O oposto do poder neurótico e manipulador não é a ausência de poder e de liderança, mas o poder solidário, a estrutura que se organiza para facilitar a ajuda mútua".

Dentre as habilidades valorizadas pelas maiores empresas destacam-se a capacidade do trabalho em equipe e motivação para objetivos e metas.(3)

Os destruidores do trabalho em equipe não são encontrados quando há espiritualidade. Na espiritualidade o ideal é a individualidade ética, capaz do diálogo, com consciência crítica, livre, criativa e responsável. A pessoa está liberta do poder e é “pobre de espírito”. A incredulidade zombou dessa máxima. Doutores não entenderam a mensagem porque pensavam que tinham grande saber e eram infalíveis.(4, 5)

Espiritualidade nos faz lembrar de Caetano, que se doutorou em Direito Civil e Eclesiástico. Secretário do Papa Júlio II, voltou a terra natal, após a morte do Papa e dedicou-se exclusivamente ao serviço hospitalar. Com a Inquisição, em Nápoles, viu o povo rebelar-se. A revolução ceifaria inúmeras vidas. Rogou a Deus que aceitasse sua vida em troca da Paz. Adoeceu e faleceu ao mesmo tempo em que os ânimos se acalmaram. A opinião foi unânime, a paz se instalou através de sua intervenção. Coincidência ou não, o gesto é digno de admiração.(3)

Como Caetano, especialistas em relações interpessoais ditam regras. O grupo de futebol de São Caetano ficou atento. Palmeiras e Botafogo, não. Eles foram parar na segunda divisão.

A primeira regra é acreditar que se pode ser líder (campeão). A perseverança persegue o objetivo porque tem uma missão grandiosa. Jesus lecionou no sentido do atemporal e ilimitado.

A liderança bem sucedida está nas mãos daqueles que assumem a postura de um parceiro e está sempre voltada para a formação de novos líderes. A autoridade é um crédito de competência que se dá a quem merece por direito. Ninguém "se torna" autoridade; a pessoa "é tornada" autoridade.

Jesus constituiu um grupo de trabalho e a unidade se deu em torno do objetivo comum. Cada individualidade foi estimulada no seu potencial. Apesar de sua grandeza espiritual ele nunca se colocou superior ao grupo.

"Poder possui duplo sentido. Um é a posse de poder sobre alguém. O outro é a posse de poder para fazer algo, o que nada tem a ver com dominação, mas maestria no sentido de capacidade. Aí, poder significa potência. Dominação e potencia são excludentes, uma vez que o primeiro é a perversão do segundo".

Uma casa espírita deve pensar na "sociologia da solidariedade". "Um modo solidário de produzir, trabalhar e viver em sociedade. Esse modo solidário de produção começa a ser possível quando os indivíduos definem como meta exigir mais de si mesmos do que dos outros, e decidem controlar mais a si mesmos que ao mundo externo".

São inadequadas as estruturas de poder que repousam na idealização cega de uma pessoa ou aquelas baseadas na desconfiança e na competição. O exercício da sinceridade solidária é saudável. A dose certa de ceticismo evita a cegueira, embora dose excessiva possa asfixiar.

"Três coisas incorporam grande quantidade de valor a tudo o que é relativo ao caminho espiritual: conhecimento, trabalho e intenção solidária. Essa combinação ilumina o conceito de democracia e são indispensáveis para colocar uma instituição espiritualista em movimento".

Inteligentes e procurando amar (6) uns aos outros, os membros da equipe de Jesus eram identificados. Até para os de fora isso era tarefa fácil: "Nisto todos os reconhecerão".

"Os níveis de trabalho acumulado e de experiência são diferentes entre pessoas, por isso a democracia espiritual não significa que todos têm igual peso, necessariamente. Se a democracia impedisse o processo de liderança dos mais experientes, o grupo se nivelaria por baixo e teria apenas a força do mais fraco dos seus elos".

Algumas pessoas, embora ocupem um cargo por muitos anos, nunca chegam a ser lideres. Liderança é transparente, aberta a questionamentos e só pode existir e manter-se pela constante renovação do seu reconhecimento por parte dos membros do grupo.

"Com o passar do tempo, a liderança se torna cada vez mais interior e se refere menos aos procedimentos externos, salvo em certos momentos decisivos".

A força de uma instituição está na clareza e na nobreza de suas metas; na eficiência dos seus métodos; na intensidade do seu trabalho e na confiança recíproca dos seus associados.

Líderes não procuram apegar-se aos cargos. Na casa espírita, o modelo é Jesus.(7)

Referências.

1.Aveline, C.C. Quatro Idéias Para Uma Teoria do Poder Solidário. Sociedade de Estudos Filosóficos. 4pp. Abril de 2003. Brasília.

2.http://www.ajornada.hpg.ig.com.br/colunistas/formiga/lcdf-0008.htm

3.http://www.ajornada.hpg.ig.com.br/colunistas/formiga/lcdf-0017.htm

4.http://www.ajornada.hpg.ig.com.br/colunistas/formiga/lcdf-0012.htm

5.http://www.ajornada.hpg.ig.com.br/colunistas/formiga/lcdf-0025.htm

6.http://www.espirito.org.br/portal/artigos/neurj/ciencia-com-amor.html

7.http://www.espirito.org.br/portal/artigos/neurj/por-que-considero-inteligente.html

2 Comentários:

  • Prezado Sr,

    recebi email com um artigo sem autoria. Fui buscar a informação via google e econtrei o mesmo texto, tbem sem autoria, mas com uma esclarecimento seu:

    Fonte: • Luiz Carlos Formiga •
    Prezado Editor, •
    Os pequenos cortes feitos no e-mail original parecem lançar confusão em relação a “autorias”, por isso informo: •
    1. A parte do texto que me pertence é apenas, a que começa com o subtítulo “AÇÕES DAS TREVAS, EM OUTRAS PALAVRAS”, que foi recentemente disponibilizado no jornal O REBATE, com o título – APEGO AO CARGO, O PODER NEURÓTICO, 31 de março de 2011.
    http://orebate-jorgehessen.blogspot.com/2011/03/apego-ao-cargo-o-poder-neurotico.html

    Busquei o subtítulo no texto cujo link está disponibilizado ao final de seu comunicado e não o econtrei.
    Gostaria muito de esclarecer :
    - o autor o texto recebido, que já descobri ser um misto de 2 textos
    - qual a parte de sua autoria naquele texto

    E, se não for pedir demais, uma opinião sobre o tal texto!

    Por agora, grata
    Linda Maria

    Por Blogger Linda Maria, às 28 de setembro de 2011 19:07  

  • Maior exemplo de Liderança que tivemos. O Livro dos Espíritos - Allan Kardec

    "625. Qual o tipo mais perfeito que Deus ofereceu ao homem para lhe servir de guia e de modelo?

    — Vede Jesus.

    Comentário de Kardec: Jesus é para o homem o tipo de perfeição moral a que pode aspirar a Humanidade na Terra. Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo e a doutrina que ele ensinou é a mais pura expressão de sua lei, porque ele estava animado do espírito divino e foi o ser mais puro que já apareceu na Terra.

    Se alguns dos que pretenderam instruir os homens na lei de Deus algumas vezes s desviaram para falsos princípios, foi por se deixarem dominar por sentimentos demasiado terrenos e por terem confundido as leis que regem as condições da vida da alma com as que regem a vida do corpo. Muitos deles apresentaram como leis divinas o que era apenas leis humanas, instruídas para servir às paixões e dominar os homens."

    Esse é o verdadeiro modelo.
    Marcos Fonseca

    Por Blogger Marcao, às 31 de maio de 2015 05:54  

Postar um comentário

<< Home