.

domingo, 6 de março de 2016

ESPÍRITO E MATÉRIA


Fernando Rosemberg
Sabe-se que o famoso astrofísico britânico: Sir Artur Eddington, contrariando os céticos, os materialistas e coisas do gênero, alegava acertadamente que:

“A matéria prima do Universo é o Espírito”...

Expressando que o fundamento do mesmo é de Natureza não física, se contrapondo, pois, à Matéria, única deusa dos materialistas que a ela tudo reduz em sua negação do Espírito, preconizando asnaticamente que a Inteligência, a Razão e a Consciência surgiram no homem por um processo dialético-evolutivo de tal substância material, constituinte de todos os Seres e de todas as coisas.

Mas tais elementos, céticos, materialistas, e coisas de igual teor, em sua contradição e cegueira, estão a desaparecer da intelectualidade planetária, pois as pesquisas incessantes do não-Físico, do Abstrato e Consciencial de todas as coisas, são fatos probantes de que a Ciência encaminha-se para o Espírito, para o estofo, o substrato fundante de todas as coisas, pois que os átomos contem em si mesmo algo que o aproxima de uma formulação matemática, um conteúdo intelectual. (Vide: “Problemas da Física Moderna” – M. Born, P. Auger, E. Schrodinger e W. Heisenberg – Editora Perspectiva).

O mesmo já afiançava “O Livro dos Espíritos” (Allan Kardec – 1857 – Ide) ao proclamar numa linha ascendente das coisas que:

“Tudo se encadeia na natureza, desde o átomo primitivo ao arcanjo, pois que ele mesmo começou por ser átomo”. (Opus Citado).

O que se confirma e se completa por toda parte das obras mediúnicas atuais, como por exemplo, com a xavieriana, em que, num dos livros do preclaro André Luiz: “Libertação” (1949 – Feb), temos que:

“A matéria, congregando milhões de vidas embrionárias, é também a condensação da energia, atendendo aos imperativos do “eu” que lhe preside a destinação”. (Opus citado).

É interessante notar, neste caso, que a Matéria, mesmo que em suas porções infinitesimais, é Matéria que, por sua vez, se distingue do “eu” espiritual, ou seja, vemos Matéria e vemos Espírito, sendo tais distintos como corpo e alma, soma e ente espiritual. E, esmiuçando algo mais, declara ainda André Luiz:

“Do hidrogênio às mais complexas unidades atômicas, é o poder do espírito eterno a alavanca diretora de prótons, nêutrons e elétrons, na estrada infinita da vida”. (Opus citado).

Confirmado, pois, nossas assertivas de que, mesmo em suas porções mínimas, Matéria e Espírito se distinguem entre si, o que constitui a trindade universal tão bem destacada em ‘O Livro dos Espíritos’, ou seja, no Espiritismo em sua feição de Doutrina dos Espíritos Superiores.

Fernando Rosemberg Patrocinio:
Fundador de Casa Espírita, Coordenador de Estudos Doutrinários, Articulista, Palestrante e Escritor de diversos livros digitais: e.Books, dispostos gratuitos na Web-Artigos.

0 Comentários:

Postar um comentário

<< Home