.

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

PROTEÇÃO ESPIRITUAL

Fernando Rosemberg



Um internauta questiona-me se tive a oportunidade de constatar, no decurso desta vida terrena, algum fato bem evidente de intervenção e proteção espiritual.

Óbvio que os fatos registrados são muitos, sendo alguns bem evidentes, quase que palpáveis. Para não alongar muito, citarei apenas um de tais fatos bem notáveis.

Pilotando motocicleta por movimentada avenida de um populoso bairro da cidade (Uberaba/Mg), em velocidade de 60 km/h, em dado momento, minha atenção estivera voltada para um determinado evento que se patenteava à minha direita, quando, naquele momento, abstraído do trânsito, pude notar que minha mão direita acionava o freio dianteiro da mesma, e o pé direito, por sua vez, acionava o freio traseiro.

E, em minha breve e momentânea distração, percebi que a motocicleta estava desacelerando, ou seja, freando subitamente, e, em tal instante de surpresa, retornei minha atenção para a via do movimentado trânsito e constatei que o veículo (uma perua) de minha dianteira reduzira drasticamente sua velocidade, quase parando; e, meu veículo, de modo semelhante, e, sem que eu tivesse consciência do fato, também perdia velocidade sendo freado instantaneamente (por quem?) para não chocar-se com a traseira do outro.

Fora tudo muito rápido, mas lento o suficiente para que eu pudesse tudo registrar do nítido fenômeno de intervenção espiritual, me protegendo naquele meu instante de desatenção no trânsito da cidade.

Dito fato fizera-me recordar “O Livro dos Espíritos” (Allan Kardec – 1857 - Ide), pergunta e resposta 459:

-“Os Espíritos influem sobre os nossos pensamentos e as nossas ações?”.

-“A esse respeito sua influência é maior do que credes porque, frequentemente, são eles que vos dirigem”. (Opus Citado).

Assim, pois, os indivíduos (espíritos) do Mundo Espiritual se entrosam com os indivíduos (homens) do Mundo Material, sendo sensível sua intervenção em nossas vidas, em nossos pensamentos e atos.

Por outro lado, se o Mundo Material é repleto de tantas desgraças, isto se dá pela rebeldia de muitos em rejeitar os bons conselhos dos amigos espirituais; amigos estes que, se não lhes damos atenção, permitem que se cumpra a Lei de Causalidade que, se absolve e eleva o inocente, condena e penaliza os transgressores à justa expiação pela triste colheita de seus atos que, como se sabe: é obrigatória.

Logo, Deus permite, à nossa Consciência, a liberdade e a escolha do caminho que devemos seguir, cedendo a uma ou a outra das influências ocultas, e, muitas das vezes opostas, que se exercem constantemente sobre nós: para o bem ou para o mal, nos deixando no comando das ações que, boas ou más, são de conseqüências inevitáveis ao seu executor.

Sendo que, no caso em questão - da referida proteção pessoal (espiritual) que se dera comigo - creio que tal se verificara por merecimento, por colheita do bem, fruto de uma plantação boa, apesar de meus defeitos, e outras tantas mazelas morais.

Fernando Rosemberg Patrocínio: coordenador de estudos doutrinários, articulista, palestrante e escritor.

Blog: fernandorpatrocinio.blogspot.com.br

0 Comentários:

Postar um comentário

<< Home